Canal Jornalismo Publicidade

Loading...

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Djavan - Se...
Djavan

Você disse que não sabe se não
Mas também não tem certeza que sim
Quer saber?
Quando é assim
Deixa vir do coração
Você sabe que eu só penso em você
Você diz só que vive pensando em mim
Pode ser
Se é assim
Você tem que largar a mão do não
Soltar essa louca, arder de paixão
Não há como doer pra decidir
Só dizer sim ou não
Mas você adora um se...


Eu levo a sério mas você disfarça
Você me diz à beça e eu nessa de horror
E me remete ao frio que vem lá do sul
Insiste em zero a zero e eu quero um a um
Sei lá o que te dá, não quer meu calor
São Jorge por favor me empresta o dragão
Mais fácil aprender japonês em braile
Do que você decidir se dá ou não.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Berimbrown - Black Broder - 20 Do 11
Autores: Mestre Negoativo / Alexandre Cardoso - Berimbrown.

Meus ancestrais
trazidos em navios negreiros
Muitos morreram de banzo antes de aqui chegar
A boca secava de sede,
caíram no samba para a dor passar
Criaram uma luta nas matas e debaixo do nariz do
feitor
Dançavam prá disfarçar,
Batuque, São Bento Grande, Santa Maria,
São Bento pequeno, Iúna, Cavalaria.
É bom e tenho o prazer de dizer sou Afro-brasileiro
Nossa cultura se expande pelo mundo inteiro
Tem até europeu tocando berimbau e pandeiro
Do mundo do açúcar a computadores
Toca-disco, fax, celular,
rádio de pilha, desemprego
Me mande um e-mail prá agente se comunicar
Do mundo do açúcar a computadores
Toca disco, fax, celular,
rádio de pilha, desemprego
Me mande um e-mail prá gente se aquílombar
Hei, black broder
Levante e lute
Na moral
Hei, black broder
Se ligue e lute na moral
E ai Domingo Jorge velho qual é a sua?
O quilombo permanece vivo a luta continua
Na ditadura grandes mestres foram exilados
Seu Rui Barbosa cadê os livros da História que foram
queimados?
Na minha cidade 21 de abril é feriado
e 20 de novembro mau é lembrado
Mas mesmo assim trago sorriso no rosto tenho o samba
no pé
Sou bamba de capoeira e acredito no meu candomblé
Aro bôbôi ôxum maré
patácuri ôgum comorodé odé
Cabecilhê kaô
Tem muito mais não tenho preconceito
Pelo contrário tenho orgulho estampado no peito
Somos miscigenados por inteiro
salve o povo índio branco áfro-brasileiro
Hei, black broder
Levante e lute
Na moral
Hei, black broder
Se ligue e lute na moral

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

http://www.authorstream.com/Presentation/b3t40_-52853-banda-eva-abra-apresenta-o1-entertainment-ppt-powerpoint/

Antes Que Seja Tarde

Antes Que Seja Tarde
(Pato Fu)


Olha, não sou daqui, diga onde estou. Não há tempo, não há nada que me faça ser quem sou, mas sem parar pra pensar, sigo estradas, sigo pistas pra me achar.
Nunca sei o que se passa com as manias do lugar, porque sempre parto antes que comece a gostar de ser igual, qualquer um, me sentir mais uma peça no final, cometendo um erro bobo decimal. Na verdade continuo sob a mesma condição, distraindo a verdade e engnando o coração. Pelas minhas trilhas você perde a direção, não há placas, nem pessoas informando aonde vão. Penso "outra vez estou sem meus amigos" e retomo a porta aberta dos perigos.

"FLAMENGO TU ES MAIOR QUE TUDO E QUE TODOS, SO TE PENSO MENOR QUANDO LEMBRO DE DEUS"

domingo, 24 de fevereiro de 2008





Eu apenas queria que você soubesse
Que aquela alegria ainda está comigo
E que a minha ternura não ficou na estrada
Não ficou no tempo presa na poeira








Eu apenas queria que você soubesse
Que esta menina hoje é uma mulher
E que esta mulher é uma menina
Que colheu seu fruto flor do seu carinho

Eu apenas queria dizer a todo mundo que
me gosta
Que hoje eu me gosto muito mais
Porque me entendo muito mais também












E que a atitude de recomeçar é todo dia toda hora
É se respeitar na sua força e fé
E se olhar bem fundo até o dedão do pé
Eu apenas queira que você soubesse
Que essa criança brinca nesta roda
E não teme o corte de novas feridas
Pois tem a saúde que aprendeu com a vida



Musica zeze de camargo e luciano - pior e ti perder

Quanta gente agente vive deixando para trás
Mas tem coisas nesta viva que não voltam mas

O primeiro namorado
A professora do jardim

Companheiros de estrada
não se lembram mas de mim

Amizade abandonada
só colegas de profissão


A familia separada
Meus vizinhos eu nem sei quem são


MÃE
Pior de tudo isso é ti perder
Ter que chorar ter que sofrer
Para aprender então a dar valor
A um grande amor